00:08

Nos últimos anos, 

00:10

as cidades de Nampula e Ilha de Moçambique enfrentam elevados níveis de degradação ambiental causada por vários factores, como a proliferação de lixo, a desflorestação, as queimadas descontroladas, a crise hídrica e a crescente defecação a céu aberto.

Estes problemas são causados ​​por vários factores, desde a falta de capacidade das instituições para gerir os resíduos sólidos até à fraca colaboração da comunidade. Queremos dar voz e entender melhor 

00:40

da situação de WASH (água, saneamento e higiene) em Nampula e na ilha de Moçambique, num contexto em que a província de Nampula enfrenta a pior crise hídrica dos últimos anos.

De acordo com o Fundo de Abastecimento de Água Potável, a água potável está a tornar-se cada vez mais cara e escassa. E a OMS estimou que apenas 63% da população moçambicana tem acesso a serviços básicos de água, 

01:04

38% da população tem acesso a instalações de saneamento básico e que a taxa nacional de defecação a céu aberto é de 29%.

Agora vamos ouvir três jovens residentes da cidade de Nampula, e da ilha de Moçambique, para perceber como tudo isto se desenrola no seu dia a dia. Esse wilAjudo-nos a compreender melhor a necessidade de mais intervenções e inovações sociais e tecnológicas nesta área.

Bom Dia como você está?

Muito obrigado.

Qual o seu nome?

Zuleide Posso

01:33

Como você tem idade?

Vinte anos.

O que você faz para viver?

Eu sou estudante.

De onde você é?

Quelimane.

Onde você mora?

Ilha de Moçambique.

Como tem sido o saneamento na cidade da Ilha de Moçambique?

Pois bem, a questão do saneamento na cidade da Ilha de Moçambique tem sido terrível, 

01:51

porque como sabemos o saneamento é um conjunto de serviços fundamentais para o desenvolvimento de qualquer região e na Ilha de Moçambique é o abastecimento de água, a limpeza urbana, a gestão de resíduos sólidos e a gestão de águas pluviais, que não tem sido muito bom, principalmente nos bairros na cidade de Makuti, e acho que essa é uma questão que precisa de muita melhoria.

E como têm intervindo as instituições competentes nesta área?

Bom, eu lembro que quando cheguei aqui no primeiro ano, 

02:19

o saneamento lá era muito, muito flexível, tanto que eu admirava muito porque era diferente da minha cidade, mas já faz alguns anos que está um pouco desorganizado, não sei o que aconteceu com as instituições, e é isso, a intervenção foi muito, muito mínima.

E qual o papel que os jovens desempenham nestas questões?

Bom, não creio que os jovens estejam a desempenhar um papel fundamental na questão do saneamento, especialmente na ilha de Moçambique. 02:50

Já vi mulheres mais velhas desempenharem um papel melhor do que as jovens.

Ah, mulheres, certo? A gente sabe que elas passam pelo ciclo menstrual, tem a questão da higiene menstrual, a questão de ser a chefe da família na casa delas, de cuidar dos filhos. Então, como tem sido a situação do abastecimento de água com essas questões em mente?

Bom, antes de mais nada, na Ilha de Moçambique temos crises hídricas em algum momento, e não só isso, 

03:19

E quando se trata de higiene, que é prevenir doenças, saúde comunitária, acho que fica muito complicado ter esse tipo de água, enfim, no dia a dia. Certo.

E na sua opinião, quais seriam as soluções para acabar com esses problemas que você acabou de apontar?

03:50

Em primeiro lugar, a cooperação de todos nós. Cooperação de todos nós como indivíduos, como organizações, como pessoas. E em segundo lugar, as instituições, penso que tiveram que trabalhar mais, principalmente o FIPAG, que fornece a água à Ilha de Moçambique, tem que olhar mais para a questão da limpeza, e todos nós, como jovens, também tivemos que cooperar para que isso pudesse melhorar.

Sou Momade Mularanja, tenho 29 anos e moro na ilha de Moçambique.

04:19

Como tem sido a questão do saneamento na Ilha de Moçambique?

Penso que de uma forma geral, a questão de WASH na Ilha de Moçambique tem sido um grande desafio nos últimos dois anos porque temos visto aqui no distrito que existem algumas falhas de drenagem em termos de higiene, 

04:48

porque acho que são três coisas juntas: higiene, saneamento e água. Agora, em termos de ser a Ilha de Moçambique como cidade aqui, não temos tido estes problemas no geral, mas a Ilha está dividida em duas partes, que é a Ilha Insular, e a Ilha Continental. Agora, para a parte continental, a questão do WASH é um grande desafio, 

05:15

porque existem aqueles bairros onde não há acesso à água potável e também à própria higiene em termos de drenagem. Existem condições que não são favoráveis ​​à população destes bairros.

Que soluções devem ser implementadas para pôr fim a estes problemas?

Sei que existem soluções, embora seja um grande desafio 

05:45

para a própria ilha como distrito, mas penso que as soluções que existem aqui seriam colocar água nesses bairros rurais, no caso específico de Sanculo, mas lá em Quissanga além de colocar água potável nesses bairros, também para tornar pessoas conscientes, 

06:15

no caso da adesão porque tem, pode ter aquelas aí que se chamam torneiras, né? Sim, podem existir, mas se as pessoas deixarem de usá-los e fizerem seu fecalismo a céu aberto, eles saem da água. São duas componentes diferentes, que é primeiro sensibilizar as pessoas para estes serviços no caso dos bairros que existem e também colocar os mesmos serviços em funcionamento nos bairros que não existem.

06:43

E qual é o maior desafio em termos de saneamento e WASH na Ilha de Moçambique?

O maior desafio na Ilha de Moçambique, em geral, é a questão de quê? Drenagem que não está em bom estado, no caso da higiene, mas temos água. A água aqui, temos água potável e estamos em boa forma. Agora para os outros bairros, os outros bairros do continente, o grande desafio é que não é… 

07:10

não é fácil encontrar o problema dos fontanários em alguns bairros.

O meu nome é Atija Assane, tenho 15 anos, sou natural da cidade de Nampula e sou estudante na Escola Primária Muahivir.

Qual é a situação de higiene e saneamento na sua escola?

A situação de higiene na minha escola é deplorável, os sanitários estão em mau estado, nem sequer os utilizamos, o pátio da escola está cheio de lixo.

Como tem sido o abastecimento de água?

Tem sido complicado, por quê? 

07:41

Nossa escola tem dificuldades com água, principalmente para nós mulheres que estamos menstruadas. Preferimos ficar em casa porque não podemos cuidar de nós mesmos antes de ir para a escola. Quase todas as escolas públicas de Nampula têm as mesmas condições.

E você já abordou alguma autoridade sobre isso, tentou fazer uma reunião ou reclamou dessa situação nas escolas?

Apenas a gestão. 

08:06

Eles sempre dizem que encontrarão maneiras de melhorar as condições.

O acesso à água potável, ao saneamento, à higiene e à saúde das mulheres e crianças tem sido uma das principais componentes do Plano Nacional de Desenvolvimento, mas as políticas que têm sido elaboradas e implementadas não se têm revelado eficazes na realidade local, pelo que há a necessidade de intervenções sociais para melhorar a qualidade de vida das pessoas nesta região.