Indígena

Círculo Consultivo

O Círculo Consultivo Indígena visa criar espaço para desenvolver uma compreensão mais profunda do contexto histórico e cultural e dos impactos contínuos da colonização.

O Círculo

A nova abordagem desejada

O círculo é uma nova abordagem desejada que wileu influencio como Waterlution podem coexistir no mundo e aprofundar a compreensão de que todas as coisas vivas estão conectadas. O Círculo Consultivo Indígena visa criar espaço para desenvolver uma compreensão mais profunda do contexto histórico e cultural e dos impactos contínuos da colonização. Este processo will garantir que os ensinamentos indígenas e o conhecimento partilhado sejam integrados nas ferramentas e recursos utilizados na programação e nos projetos da organização, e garantir que os funcionários, voluntários e membros do conselho tenham as ferramentas e a compreensão do conhecimento tradicional, para que todos possamos trabalhar no sentido de reconciliação.

Co-desenvolvimento

Waterlution tem aprendido junto com os membros do Círculo Consultivo Indígena a iniciar e co-desenvolver protocolos de envolvimento indígena, planos de comunicação e um plano de ação.

Nosso objetivo

Nosso objetivo é aprofundar continuamente as relações comunitárias com os Povos Indígenas através da aplicação dos protocolos de engajamento, planos de comunicação e planejamento indígenas que os membros do Círculo orientaram e co-desenvolveram e wilser continuamente incluído em todos os aspectos do Waterlution projetos e programas.

Conselheiros do Círculo Indígena

Angela DeMontigny

Angela DeMontigny é uma premiada designer de moda, artista, empreendedora e mentora da herança Cree/Métis. DeMontigny nasceu e foi criada na costa oeste de BC, embora suas raízes familiares sejam o assentamento de Red River, no território do Tratado 1, em Manitoba, Saskatchewan e Dakota do Norte. 

Angela é pioneira na moda de luxo indígena há mais de 2 décadas sob sua marca 'DeMontigny'. Através da criação de seus lindos e autênticos produtos de moda, acessórios, estilo de vida e bem-estar (LODGE Soy Candles), ela ajudou a abrir um caminho para a moda indígena nacional e internacionalmente. Ela está reivindicando sua identidade como mulher indígena e honrando seus antepassados, incorporando sua cultura em seus designs e arte, ao mesmo tempo em que utiliza seus dons como designer e empreendedora. 

Também uma artista talentosa, Angela recebeu uma importante comissão de arte pública em 2020 por sua escultura inovadora 'All Our Relationships', que foi instalada na orla marítima de Hamilton em 30 de setembro de 2023 – o Dia Nacional da Verdade e Reconciliação. Esta bela cerimônia reuniu a comunidade indígena e de Hamilton para homenagear os sobreviventes das escolas residenciais, as crianças que nunca voltaram para casa e para celebrar a reconciliação em ação. Ela está extasiada por ter sido capaz de co-criar um legado de arte pública muito necessário para a cidade, que wilTambém serei um espaço designado para a comunidade indígena urbana se reunir. Os planos futuros consistem em desenvolver ainda mais uma componente educativa com programação para jovens e turismo. 

https://hamiltoncitymagazine.ca/waterfront-art-is-a-soaring-thoughtful-ode-to-indigenous-ways-of-thinking/

Jay Havens

Clã Urso Mohawk, Seis Nações

Jay Havens é um artista multimídia 2Spirit, educador e colaborador de Kanien'keha:ka (Haudenosaunee) e de ascendência escocesa canadense. Havens nasceu em terras conhecidas como Haldimand Tract e foi criado em terras Unceded Sto:lo e Musqueam perto de Vancouver, Canadá.

Eles são cenógrafos com experiência em performances e instalações site-specific, murais, projeções e obras de arte mista para galerias, museus e espaços públicos. A prática de Havens abrange a reaprendizagem dos modos de Onkwehon:nós (povos originais) e sua pesquisa tem se concentrado em Métodos Indígenas de Construção de Conhecimento aplicados a processos criativos e logísticos de cenografia. Jay possui bacharelado pela University of British Columbia, Departamento de Teatro, Cinema e Escrita Criativa e MFA pela Emily Carr University of Art + Design. Ao longo de seus 19 anos de carreira, os destaques do projeto incluem projeção mapeando uma maloca Haudenosaunee na Prefeitura de Stratford, uma obra de arte flutuante no porto de Toronto chamada The Peacemaker's Canoe e um mural nas janelas da Ópera de Vancouver. Várias das tecelagens esculturais de Jay podem ser encontradas nas coleções do Museu do Estado de Nova York e atualmente ele está projetando obras de arte públicas para locais em todo o sul de Ontário. Jay também pode ser encontrado colaborando no design de cenários e figurinos para companhias de palco profissionais, como Caravan Farm, Centaur ou Axis Theatre, e está animado por ingressar no Departamento de Artes da Comunicação da Universidade de Waterloo em janeiro de 2023 como professor assistente ensinando cenografia e design thinking cursos. Havens é membro da The Associated Designers of Canada (IATSE 659) e da CARFAC. Ele é um orgulhoso cidadão do Mohawk, Clã Urso das Seis Nações do Grande Rio.

Kawennakon Bonnie Whitlow MA

Wakskare: acorde, Clã Urso
Kanyen'kehaka niwakonhwentsyo:dez,
Nação Moicano
Ohswe:ken Nitewake:non, Seis Nações do Grande Rio
Ka'nihstenhsera, mãe
Rawennahatyes ronwa:yats ne riyen:'a, de Rawennahatyes

Kawennakon tem revitalizado práticas culturais e se conectado a cerimônias espirituais ancestrais, danças e canções tradicionais desde os seus 20 anos. Ela fala uma segunda língua de Kanyen'keha e tem aprendido, ensinado e defendido a revitalização da língua ancestral desde os 30 anos. Ela é uma acadêmica, uma autora, uma palestrante, uma organizadora comunitária, uma ativista da unidade, uma corredora da unidade, uma viajante, uma ativista, uma artista e uma atriz (entre outras coisas). Ela também é filha de Arlene “Jiggy” Hill, Rastawenserenhtha Bear Clan.

Ellie José

Sou da Nação Mohawk, Clã Tartaruga, nasci, cresci e ainda vivo na Reserva das Seis Nações, às margens do Grande Rio. Aposentei-me de um mandato de trinta e sete anos como professor de sala de aula nas escolas primárias de nosso sistema de ensino público há muitos anos, mas continuo sendo um voluntário ativo na área educacional.

Depois de participar da Campanha de Renovação Two Row de dezesseis dias, de Albany a Manhattan, NY, no rio Hudson, em 2013, fui um dos quatro participantes que estabeleceram o que hoje é conhecido como “Two Row on the Grand”. Esta excursão de remo de dez dias, de Cambridge a Part Maitland, reúne nossa comunidade das Seis Nações com participantes aliados. Ensinamentos culturais são apresentados ao longo do caminho, incentivando relacionamentos e conexões saudáveis ​​com a Mãe Terra.

Funcionando como um comitê de voluntariado de base, vimos a participação deste projeto mais que dobrar de tamanho em seus oito anos de existência. Os planos já estão em andamento para o próximo Two Row on the Grand. Para mais informações, www.tworowonthegrand.com